Exposição reúne gravuras feitas com peixes através de antiga técnica japonesa

exposição-alma-de-peixe

O artista Felipe Caires usa a arte para refletir sobre ecologia em sua exposição Alma de Peixe, que reúne mostra de Gyotakus criados na Ilha de Itaparica e gravuras feitas a partir de lixo recolhido na Baía de Todos os Santos. A exposição será aberta ao público na sexta-feira, 10 de janeiro, e poderá ser visitada até o dia 1º de fevereiro, no Espaço Xisto Bahia, de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h. A entrada é gratuita.

O Gyotaku é uma antiga técnica japonesa que retira a gravura diretamente do peixe, prática que surgiu como forma de comprovar a quantidade e o tamanho dos peixes pescados em campeonatos de pesca. A exposição reúne ainda peças criadas com técnica moderna de serigrafia.

Felipe Caires – Natural de Salvador, o artista é graduado em Artes Plásticas pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), e já fez diversas exposições coletivas e individuais em Salvador, incluindo o Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM; cidades do interior do estado como Alagoinhas e São Felix (Bienal do Recôncavo); outras capitais brasileiras, como Belo Horizonte (MG); e também em outros países, como em Bogotá, na Colômbia, onde fez residências artísticas e trabalhou com mediação cultural.

Áttomos Companhia de Dança apresenta espetáculo “Paralelo” nesta sexta e sábado

Paralelo - Attomos

Foto: Divulgação

A Áttomos Companhia de Dança apresenta o espetáculo “Paralelo”, inspirado em uma história real que se embaraça a outras histórias de diferentes contextos, numa leitura poética de vivências explícitas. As apresentações acontecem nesta sexta e sábado, dias 06 e 07 de dezembro, às 19h, no Espaço Xisto Bahia, nos Barris, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Do diretor artístico e coreógrafo Anderson Rodrigo, “Paralelo” é uma obra dentro de outra que entrelaça imaginação e delírio. Composta por um elenco de sete bailarinos, a peça tem um cenário de roupagem poética e se organiza por imagens em cena, momentos dicotômicos que se conectam e desconectam como estratégia para desviar-se da tenuidade de lembranças acumuladas como mecanismo de sobrevivência.

Anderson Rodrigo é coreógrafo, produtor e gestor em Dança e tem um trabalho diferenciado no que tange a instrumentalização de artistas e a gestão em dança, mergulhando na criação coreográfica e tendo como motriz assuntos díspares, hora focado na dança, hora em seus fazedores.

No ano de 2002, assumiu a direção do projeto Sexta Cênica, além de ser um dos idealizadores do projeto Tabuleiro da Dança. É idealizador do projeto AbriU Dança na Bahia e membro do Coletivo Dançando Nossas Matrizes. É fundador diretor e coreógrafo da Áttomos Cia de Dança, que desde 1999, tem se dedicado em realizar trabalhos coreográficos com assuntos de relevância coletiva e/ou individual, nos seus aspectos e ponto de vista poético.

Áttomos Companhia de Dança – Tem se dedicado a realizar obras coreográficos que abordam assuntos de cunho coletivo ou individual, enfatizando os questionamentos do cidadão perante a sociedade sob um ponto de vista poético. A Áttomos tem respaldo na sua responsabilidade e experiência de produção e pesquisa em dança, no desenvolvimento artístico profissional, bem como na sua contribuição para a difusão da dança baiana e fortalecimento artístico criativo.

 

Violência contra a mulher é tema de espetáculo em cartaz este fim de semana

Dois Tempos_Foto Diney Araújo

Foto: Diney Araújo

Uma trama de sutilezas cômicas que permeiam universos paralelos envolvendo uma vítima de violência doméstica e um rapaz que sofre por um amor não correspondido. Este é o espetáculo “Dois Tempos” que realizará duas apresentações no Espaço Xisto Bahia, nos Barris, nos dias 22 e 24 de novembro (sexta e domingo), às 19h. O valor do ingresso é pague quanto puder.

O espetáculo conta a história do ator Ananias, que acaba se envolvendo com um de seus espectadores na estreia da peça de “Seu Miguel, um Mito Afro Baiano” e vive o drama de corresponder a esse novo sentimento. Paralelo a isso, ele ajuda uma amiga que está à beira de um suicídio por não suportar mais ser vítima da violência do seu esposo, um rapaz que conhecera na internet.

Com texto e direção de Paulo Neri, o elenco é composto por Agenor Pereira, Ângela Daltro, Lane Monteiro, Marcos Samad, Nilma Abreu, Paulo Neri, Sara Andrade e Vanusa Mel.

SecultBA divulga resultado da Convocatória Ocupe Seu Espaço

CARD - RESULTADO_CONVOCATORIA

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) torna público o resultado da seleção para ocupação de pautas artístico-culturais de 13 Espaços Culturais da SecultBA em 9 territórios de identidade. A Convocatória Ocupe Seu Espaço escolheu 191 propostas passíveis de ocupação, incluindo as que ficaram na suplência.  Os proponentes com propostas selecionadas devem se apresentar ou entrar em contato com o Espaço Cultural para o qual se inscreveu, entre os dias 20 e 22 de novembro, para assinatura do Termo de Compromisso e Responsabilidade. Já os proponentes com propostas na suplência devem aguardar convocação posterior.

As propostas que tenham em seu conteúdo imagens, vozes e/ou canções de desenhos animados deverão apresentar a autorização ou liberação de direito autoral antes da assinatura do Termo de Compromisso e Responsabilidade. Além disso, os custos relativos aos Direitos Autorais são de responsabilidade do proponente e os comprovantes de pagamento e autorização deverão ser entregues à coordenação do espaço cultural.

Veja o resultado aqui.

Convocatória Ocupe Seu Espaço
 – É uma seleção que busca impulsionar a difusão, democratizar o acesso, dinamizar os espaços e contribuir para o cumprimento dos objetivos das políticas culturais na dimensão territorial da cultura. A convocatória possui três linhas de ação de fomento, que amplia a dinâmica de acesso às pautas dos espaços culturais, oferecendo desconto de 50% e até gratuidade de pauta.

A convocatória visa a ocupação dos seguintes Espaços Culturais: em Salvador e região metropolitana são Casa da Música, Centro Cultural Plataforma, Cine-Teatro Solar Boa Vista, Espaço Cultural Alagados, Espaço Xisto Bahia e Cine Teatro Lauro de Freitas; e nos demais territórios participam Casa de Cultura de Mutuípe, Centro de Cultura ACM (Jequié), Centro de Cultura Amélio Amorim (Feira de Santana), Centro de Cultura de Alagoinhas, Centro de Cultura de Porto Seguro, Camillo de Jesus Lima (Vitória da Conquista) e Teatro Dona Canô (Santo Amaro).